segunda-feira, 9 de abril de 2018

Felizmente Há Luar - OPINIÃO


Título: Felizmente Há Luar
Autor: Luís de Sttau Monteiro
Editora: Areal Editores
Nº de Páginas: 140
Data de Publicação: 1961
ISBN: 978-972-627-744-6
P.V.P: 13,30€


Sinopse:
Denunciando a injustiça da repressão e das perseguições políticas levadas a cabo pelo Estado Novo, a peça Felizmente Há Luar!, publicada em 1961, no mesmo ano de Angústia para o Jantar, esteve proibida pela censura durante muitos anos. Só em 1978 foi pela primeira vez levada à cena, no Teatro Nacional, numa encenação do próprio Sttau Monteiro.
Eu sou um homem de teatro concreto, real, de palco. Para mim, o teatro surge quando está no palco, quando estabelece uma relação social, concreta, num povo e num grupo. O livro meramente, ou o texto, tem para mim muito pouco significado, apesar de eu ser um autor teatral. (...) Se vocês são o teatro do futuro, eu sou o do passado. Eu sou um homem para quem só conta o espectáculo.
Estas são palavras proferidas por Luís de Sttau Monteiro, publicadas em Le Théatre sous la contrainte, Atas do Colóquio Internacional realizado em Aix-en-Provence, de 4 a 5 de Dezembro de 1985, publicadas pela Universidade de Provence, em 1988.
É com esta citação que o Professor José Oliveira Barata, autor de Para Compreender Felizmente Há Luar!, estudo publicado também por Areal Editores, ilustra o facto de o texto dramático constituir apenas um primeiro passo para fomentar, em quem ensina e em quem aprende, o gosto pelo Teatro, entendido como expressão cultural socialmente condividida.

Opinião:
 Luís de Sttau Monteiro foca-se na tentativa frustrada da revolta liberal e empenha-se em criar uma crítica à sociedade portuguesa do século XIX, erguendo a voz contra as injustiças cometidas nessa altura.
 Este livro escrito em forma de guião, é de leitura fácil, rápida e intemporal. Aborda temas como a injustiça social, a imoralidade, a tirania, a falta de liberdade de expressão.
 Apesar de não ter gostado muito quando li na escola, fiquei com curiosidade de voltar a ler e tentar entender se poderia gostar mais do que da primeira vez que li.
 Independentemente de ter entendido muito melhor o conceito do texto não consegui gostar muito mais do que da primeira vez que li.
 Por estes motivos decidi dar 3 estrelas.

A Vossa Gothic Clare

Enviar um comentário