quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

O Cântico de Natal - Opinião


Título Original: A Christmas Carol
Autor: Charles Dickens
Nº de Páginas: 112
Editora: Leya
ISBN: 978-989-660-016-7
P.V.P: 4,76€

Sinopse:
 Ebenezer Scrooge é um homem avarento e amargo que não gosta do Natal. Trabalha num escritório em Londres com Bob Cratchit, um funcionário pobre, mas um homem feliz, que é pai de quatro filhos por quem nutre muito carinho, em especial pelo frágil Tiny Tim, o mais novo, que tem problemas de saúde. Numa véspera de Natal, Scrooge recebe a visita do seu ex-sócio Jacob Marley, que havia morrido naquele mesmo dia, há sete anos atrás. Marley diz lhe que o seu espírito não consegue ter paz, por que não foi bom nem generoso ao longo da sua vida, mas que Scrooge tem uma hipótese. Para isso, Scrooge irá receber a visita de três espíritos que pretendem fazer dele uma pessoa generosa e solidária.


Opinião: 
 Mais um livro extraordinário que não podia deixar de lado mais tempo, sem dúvida uma excelente leitura para esta altura do ano, mesmo já tendo passado o Natal.
 Nos tempos que correm infelizmente ficamos a conhecer mais gente desmotivada, carrancuda, infeliz, e que só desejam o mal dos outros. Dia-a-dia depara-mo-nos com pessoas sem humanidade nelas, não acreditam em ninguém, não querem ajudar. A Humanidade deixou de ser caridosa há já muito tempo. Claro que as circunstâncias que vivemos nos dias de hoje levam a que as pessoas deixem de olhar para o outro como um ser que precisa de ajuda e passa a ver todos como corruptos, desonestos, ladrões. 
 Nesta época natalícia podemos verificar isso mesmo. Muitos fazem peditórios e as respostas são quase todas iguais, "Não ajudo... Não conte comigo... Com tudo o que se ouve e vê na televisão!? Não contribuo com nada". Infelizmente esta é a nossa sociedade e a realidade que nos é apresentada não ajuda.
 Nesta história ficamos a conhecer Scrooge, um homem rico, mal encarado, que detesta o Natal e os pobres. Um homem a quem não lhe importa o próximo, só quer saber dele. Para Scrooge os pobres têm de estar na prisão ou numa casa de trabalhos forçados. A felicidade não é para ele. Não ajuda ninguém, só sabe virar as costas a quem precisa. Scrooge não vê que só se prejudica a ele mesmo e que irá acabar sozinho sem ninguém que o ajude.
 Num certo Natal Scrooge é visitado pelo fantasma do seu antigo sócio e amigo Marley, este todo acorrentado, avisa-o que será visitado por três espíritos: o espírito do Natal Passado, o espírito do Natal Presente e o espírito de Natal Futuro. E assim acontece, durante estas visitas os espíritos mostram a Scrooge muitos acontecimentos da sua vida e aos poucos ele começa a perceber que afinal a felicidade, a solidariedade e a bondade podem existir dentro de um pessoa. Scrooge vê-se em criança e vê principalmente tudo o que sofreu. Aqui começa a grande mudança.
 E assim acontece durante todo o conto até que um milagre sucede.
 Para mim esta história, este conto pode ser transportado para o presente e demonstra que afinal não é só agora que existem pessoas com mau génio e que não são solidárias.
 A minha passagem favorita é a seguinte:
 «Scrooge não voltou a falar com Espíritos mas passou a viver sempre na prática de uma verdadeira caridade cristã, a ponto de poder afirmar-se que era o homem que melhor sabia festejar o Natal e cumprir os deveres que ele impõe. OXALÁ SE POSSA CONTAR O MESMO DE VÓS, DE MIM, DE NÓS TODOS PARA QUE, COMO DIZIA TINY TIM, «DEUS NOS ABENÇOE A TODOS QUANTOS EXISTIMOS!»»

 A minha pontuação para este livro não podia ser outra senão 5 estrelas
 E que todos tenham um próspero Ano Novo..... 

A Vossa Gothic Clare

Enviar um comentário