quarta-feira, 8 de março de 2017

[Novidade Casa das Letras] - Diário dos Imperfeitos de João Morgado


Título: Diário dos Imperfeitos
Autor: João Morgado
Nº de Páginas: 384
Editora: Casa das Letras
Data de lançamento: Fevereiro 2017
ISBN: 978-989-741-673-6

Sinopse: Diário dos Imperfeitos é uma viagem à intimidade das pessoas. Vitima de um acidente, a Gaivota é uma mulher que precisa de redescobrir todas as emoções sequestradas dentro de si. Ao mesmo tempo, reaprende a conhecer o seu corpo - uma aventura refreada pela moral, pelo sombra do pecado e pelo medo que pode levar à própria insanidade. Uma luta interior entre o bem e o mal, que leva a uma inevitável conclusão: todas as pessoas são imperfeitas!
Como irá reagir de novo à sua realidade? Voltará a ser quem era? E os que estão a seu lado, como vão sobreviver a esta viagem?
Uma escrita intimista, que procura descortinar os sentidos e as emoções dos diferentes personagens. Do prazer mais carnal ao amor puro, passando pela falsa moral da sociedade e da religião. Pelo meio, a filosofia simples de duas personagens inusitadas - a mulher que lê pensamentos e um pintor de sóis na parede. São eles que levam o narrador a perceber os sentimentos da «Gaivota» e nos ajudam a refletir sobre temas tão controversos como o amor, o desejo, o sentimento de culpa ou o próprio nojo.

Autor: João Morgado nasceu em 1965, em Aldeia do Carvalho, Covilhã.
Poeta e romancista, é doutorado em Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Tem mestrado em Estudos Europeus e pós-graduação em Marketing Político. Trabalhou como jornalista e é actualmente consultor de comunicação nos meios políticos e empresariais.
Na literatura, afirmou-se com o romance Diário dos Infiéis, que retrata a vida de quatro casais modernos «perdidos do lado errado do amor» e que procuram descortinar diferentes formas de infidelidade.
Com um estilo por vezes poético, por vezes áspero, retoma com este Diário dos Imperfeitos - Prémio Literário Vergílio Ferreira - a escrita sobre os sentimentos mais íntimos dos amantes.
Ambas as obras, editadas pela Casa das Letras, foram já adaptadas ao teatro pela ASTA - Associação de Teatro e outras Artes.
Escreve ainda crónicas, contos e poesia, e publicou recentemente alguns romances históricos.
As suas obras já foram distinguidas com os seguintes prémios: Prémio Literário António Serrano 2016, Prémio Nacional de Literatura LIONS 2015, Prémio de Poesia Manuel Neto dos Santos 2015, Prémio Literário Fundação Dr. Luís Rainha/Correntes d'Escritas 2015, Prémio Literário Alçada Baptista 2014 e Prémio Literário Vergílio Ferreira 2012.

Excerto: 
«...Porque não nos amamos aqui na calçada do passeio? Primeiro, nas pedras brancas e, depois, nas pedras pretas e assim sucessivamente até casa? Quantas pedras temos para nos amar, da beira-mar à beira-cama? Da beira-quero-te à beira-tenho-te? Quantas pedras? Brancas? Pretas? Quantas?
Emília, tenho sede da tua pele, da tua pele mais branca, mais íntima, mais húmida, mais virgem, da tua pele mais pecadora, da tua pele mais pele, da tua pele de corpo, nua, crua, onde possam chover beijos da minha língua sedente, lambidos, desenvergonhados à beira-das-bocas em que se entra em ti, à beira-de-dentro-de-ti. (...)
Veste-te, Emília, eu ajudo-te com a roupa em silêncio, e tu ajudas a vestir-me também, para depois tão rapidamente nos despirmos e nos amarmos na calçada, primeiro nas pedras brancas e depois nas pedras pretas e assim sucessivamente, assim sucessivamente, até chegarmos a casa, onde nos amaremos de novo.»

Com apoio:


A Vossa Gothic Clare


Enviar um comentário